9 de janeiro de 2008

Concurso

Provas do concurso da Prefeitura de Vitória serão aplicadas no domingo (13)

Rei Momo

Mudou o local da escolha do Rei Momo, rainha e princesas do Carnaval de Vitória

Colônia de férias

Iinscrições para a Colônia de Férias até sexta-feira (11)

Tenda Cultural

Shows movimentam a Tenda Cultural na Praia de Camburi

Telecentro

A Prefeitura de Vitória inaugura mais cinco telecentros neste mês de janeiro

Habitação

Antigos hotéis de Vitória são transformados em moradia popular

Tanque

Prefeitura encontra tanque de combustível soterrado na Praça Costa Pereira

Trabalho

Ambulantes podem se cadastrar para trabalhar no Sambão do Povo durante o Carnaval de Vitória

Parcelamento

Prefeitura parcela débito de Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN)

Cursos e oficinas

Escola de Teatro e Dança Fafi abre temporada de cursos e oficinas

Campanha

Campanha Praia Limpa nas praias de Vitória até o final de janeiro

Motos

Mais vagas para motos em Vitória

Bolsa de estudo

Facitec oferece bolsas de mestrado e doutorado para servidores

Idiomas

Cursos de idiomas com 50% de descontos para servidores

Blocos

Inscrições para blocos carnavalescos terminam nesta sexta (7)

 

Antigos hotéis são transformados em moradia popular

 
Kadidja Fernandes
Serão construídas 54 unidades habitacionais no Hotel Estoril

O sonho das 94 famílias que vão habitar os antigos hotéis Estoril, Tabajara e Pouso Real já começou a virar realidade. O secretário de Habitação Sérgio de Sá Freitas assinou nesta terça-feira (08) a ordem de serviço que marca o início das obras que vão transformar os antigos hotéis em habitações populares por meio de ações do projeto Morar no Centro. A previsão é de que os apartamentos estejam prontos em 12 meses.

O projeto Morar no Centro integra os programas Habitar Vitória e Revitalização do Centro, beneficiando famílias com renda em torno de três salários mínimos. De acordo com o secretário, a diminuição do deficit habitacional e o repovoamento da área central de Vitória, servida de toda infra-estrutura (abastecimento de água, coleta de lixo e oferta de equipamentos de saúde, ensino e de lazer) são os objetivos principais do Projeto Morar no Centro. Estão previstas reforma e reabilitação dos edifícios desocupados ou sub-utilizados, gerando melhoria da qualidade de vida dos habitantes, atuais e futuros.

A primeira etapa do projeto compreende as transformações em habitação popular dos edifícios Pouso Real, Tabajara, Estoril e Santa Cecília. Este último está em fase de aquisição pela Prefeitura de Vitória. Os três primeiros empreendimentos são localizados na avenida Jerônimo Monteiro e contemplam tanto a demanda por imóveis no Centro quanto o incentivo para recuperação de construções antigas, que têm grande importância para a história da cidade.

Marcos Salles
O secretário de Habitação Sérgio de Sá Freitas assinou a ordem de serviço para o início das obras dos apartamentos nos hotéis Estoril, Pouso Real e Tabajara.

Para o secretário de Desenvolvimento da Cidade, Kleber Frizzera, “a reforma representa mais do que uma nova visão da habitação em Vitória; é uma nova visão da cidade. É um presente para todos aqueles que gostam da cidade e também é um desafio fazer com que todos participem desse processo democrático”.
O gerente regional de negócios da Caixa Econômica Federal, Antônio Carlos Nicchio, lembrou que o Morar no Centro é o primeiro projeto de requalificação urbana do Espírito Santo: “É o primeiro e para nós é um marco porque foram muitas parcerias e muito trabalho para chegar até aqui”.

Fazer valer a lei para reduzir ainda mais o déficit habitacional na cidade de Vitória. Foi com essa afirmação que o secretário Sérgio Freitas justificou a seleção das 94 famílias e a intenção de diminuir ainda mais o déficit habitacional do município que hoje está em torno de 7.500 famílias. “É um desenvolvimento com sustentabilidade para garantir o direito à moradia com qualidade de vida. A partir de amanhã terá início o trabalho técnico-social que tem como objetivo integrar essas famílias. São 22 meses de trabalho social para garantir qualidade nas relações. Lembrando que 10% dos apartamentos foram destinados a deficientes físicos e 20% a servidores públicos municipais”.

Samira Gasparini
Rafael Neves foi selecionado para receber um apartamento

A família de Rafael Neves Neto foi selecionada para o projeto. A renda familiar é de aproximadamente três salários mínimos e ele não vê a hora de mudar: “Ficamos muito felizes porque nós moramos de aluguel e a vida fica mais difícil. O início das obras já é sinal de que tudo está dando certo”, conta Rafael.
A motorista Perina Alves Pereira também não vê a hora de receber o novo lar: “Eu passo aqui em frente e fico só imaginando como vai ser bom. Aqui no Centro é tudo perto para mim”.

O vereador Fábio Lube enfatizou que o Morar no Centro é um dos projetos que a Secretaria de Habitação tem colocado em prática. “Outros projetos, como o Vitória de Todas as Cores, têm mudado a cara da cidade e melhorado a vida daqueles que têm menos renda. Isso é resultado de muito trabalho e seriedade”.

Obras

Essa primeira etapa compreende as obras dos edifícios Estoril (54 apartamentos), Pouso Real (20) e Tabajara (20), totalizando 94 unidades habitacionais. Serão construídos apartamentos de um e dois quartos, com medidas variando entre 33 e 52 metros quadrados. A previsão é de que os apartamentos sejam entregues em 12 meses. Em fase de aquisição está o edifício do antigo cinema Santa Cecília que terá mais 49 apartamentos.

Os recursos para realização da obra vêm do Governo Federal  - Ministério das Cidades/ Caixa (R$ 1.598.000,00) e da Prefeitura de Vitória (R$ 1.910. 000,00). Cada família vai pagar durante 15 anos o valor referente a 10% da renda familiar, sem saldo devedor. Ao final desse prazo será fornecida a escritura definitiva do imóvel.

Carlos Antolini
Hotel Pouso Real Hotel Tabajara

A assinatura da ordem de serviço para as obras do projeto Morar no Centro marca a história de muitas vidas, daquelas que passaram por ali e de todas as 94 famílias que agora terão onde morar, que vão realizar o sonho de ter a casa própria e, assim, poderão continuar escrevendo a história do Centro da cidade.

O repovoamento da área central de Vitória, servida de toda infra-estrutura (abastecimento de água, coleta de lixo e oferta de equipamentos de saúde, ensino e de lazer), é o objetivo do Projeto Morar no Centro. Para isso, estão previstas reforma e reabilitação dos edifícios desocupados ou sub-utilizados, gerando melhoria da qualidade de vida dos habitantes, atuais e futuros.

A primeira etapa do projeto compreende as transformações em habitação popular dos edifícios Pouso Real, Tabajara, Estoril e Santa Cecília. Este último está em fase de aquisição pela Prefeitura de Vitória. Os três primeiros empreendimentos são localizados na avenida Jerônimo Monteiro e contemplam tanto a demanda por imóveis no Centro quanto o incentivo para recuperação de construções antigas, que têm grande importância para a história da cidade.

A área de atuação do programa, definida junto ao Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social (CMHIS), atinge na totalidade os bairros Centro, Parque Moscoso, Santa Clara, Vila Rubim e Ilha do Príncipe, e parcialmente os bairros: Forte São João, Romão e Cruzamento.

Obras

Essa primeira etapa compreende as obras dos edifícios Estoril (54 apartamentos), Pouso Real (20) e Tabajara (20), totalizando 94 unidades habitacionais. Serão construídos apartamentos de um e dois quartos, com medidas variando entre 33 e 52 metros quadrados. A previsão é de que os apartamentos sejam entregues em 12 meses. Em fase de aquisição está o edifício do antigo cinema Santa Cecília que terá mais 49 apartamentos.

Os recursos para realização da obra vêm do Governo Federal  - Ministério das Cidades/ Caixa (R$ 1.598.000,00) e da Prefeitura de Vitória (R$ 1.910. 000,00). Cada família vai pagar durante 15 anos o valor referente a 10% da renda familiar, sem saldo devedor. Ao final desse prazo será fornecida a escritura definitiva do imóvel.

Famílias

Os requisitos para inscrição foram: residir em Vitória há pelo menos um ano, possuir renda familiar entre 3 e 5 salários mínimos, não possuir outro imóvel residencial e/ou nenhum tipo de financiamento habitacional, não ter sido beneficiado por programa semelhante, ser maior de 18 anos e não estar inadimplente perante o município. Os critérios de classificação priorizam, conforme estabelece a legislação municipal, famílias com menor renda, mulheres chefes de família e idosos. Há ainda a reserva de 10% das vagas para portadores de deficiência e 20 % para servidor público municipal efetivo.

Todas as famílias selecionadas têm renda de aproximadamente três salários mínimos, com composição familiar de 02 membros em sua maioria (55%), mas há famílias com 1, 3 e 4 componentes.

Centro


O Centro de Vitória apresenta papel fundamental pela concentração de edifícios e espaços de interesse arquitetônico, urbanístico e de importância histórica. Trata-se de um dos espaços mais democráticos da cidade, pela multiplicidade de grupos sociais que moram, trabalham ou dele se utilizam.

Divulgação

A iniciativa do projeto Morar no Centro se destaca não só pela oferta de unidades habitacionais de interesse social, mas, ainda, pela otimização da infra-estrutura existente, dinamizando as funções econômicas e sociais da área central, com melhoria da qualidade de vida de seus habitantes.

Revitalização do Centro

O Centro de Vitória, ao mesmo tempo em que conserva as características com as quais é possível identificar sua história, é local privilegiado de mudanças. A melhor delas é que nos últimos tempos tornou-se um espaço pulsante de cultura e negócios, de valorização das moradias. Os projetos de transformação do Centro levam em consideração novas propostas de qualificação da mobilidade urbana, melhoria do sistema de circulação da cidade, dinamização econômica e habitacional e valorização da paisagem e do meio ambiente, com incremento turístico e preservação do sítio histórico. Além do projeto Morar no Centro, o programa de Revitalização  inclui, entre outras ações:

* Implementação do Plano de Mobilidade Urbana do Centro de Vitória, com a reurbanização da Praça Costa Pereira e entorno, e da avenida Jerônimo Monteiro;
* Estruturação de ciclovias e passeios acessíveis nas Avenidas Elias Miguel e Getúlio Vargas;
* Construção das novas instalações da Biblioteca Municipal Adelpho Poli Monjardim, onde atualmente funciona a loja Dadalto, na avenida Princesa Isabel;
* Restauração e recuperação de imóveis de interesse histórico e cultural, entre esses a Escola de Teatro e Dança Fafi, a antiga sede social do Clube Saldanha da Gama - que abriga a Secretaria de Esporte e o Museu dos Esportes, o Centro Cultural Majestic, e a Casa Porto das Artes Plásticas;
* Reforma do Parque Tancredo Neves, no bairro Mário Cypreste;
* Recuperação do Mercado da Capixaba, onde será instalada a Sede da Associação Brasileira dos Documentaristas e Curta-Metragistas;
* Criação do espaço cultural do Armazém 5, conhecido como Estação Porto, onde as atividades artísticas respeitam a diversidade cultural e os artistas encontram estrutura para a realização de seus shows.

Outras experiências

Diversos municípios priorizam a habitação como elemento essencial para revitalização de áreas centrais: Rio de Janeiro (Programa Morando no Centro), São Paulo (Programa Morar no Centro), Porto Alegre, Salvador (Projeto Rememorar), João Pessoa, Recife, Natal, Belém e São Luiz. (Rejane Gandini)

Como vai ficar cada prédio