17 de setembro de 2007

Participantes

Feira do Verde tem 98 expositores

Publicações

Feira do Verde também é espaço para lançamento de livros e guias

Vagas

Estacionamento para 600 carros

Debates

Juventude é tema de conferência da ONU nesta quarta-feira (19)

Limpeza

Feira do Verde terá coleta seletiva

Obras

Prefeito dá ordem de serviço para construção do Calçadão do Porto

Corrida

Quenianos perdem duelo com os brasileiros na 1ª Meia Maratona

Cidadania

Campanha por respeito aos assentos especiais nos ônibus

Obras

Prefeito dá ordem de serviço para construção do Calçadão do Porto


Prefeito dá ordem de serviço para obras do Calçadão do Porto

 
Carlos Antolini
As obras contemplam a criação de baias de ônibus, a implantação de ciclovia e a reconstrução das calçadas

Pedestres, ciclistas e usuários do transporte coletivo circularão no Centro de forma mais segura, com a construção do Calçadão do Porto, que ligará a Ponte Florentino Avidos ao Armazém 5 da Codesa. As obras - que se iniciam este mês e têm prazo de conclusão de 180 dias - contemplam a criação de baias de ônibus, a implantação de ciclovia e a reconstrução das calçadas. A ordem de serviço será assinada pelo prefeito João Coser na terça-feira (18), às 9 horas, na portaria sul da Codesa (próximo à Ilha do Príncipe).

As bicicletas, que chegam a 350 nos dois sentidos na hora pico (das 6 às 7 horas e das 17 às 18 horas), disputam atualmente lugar com os carros. Já os pedestres se deparam com degraus irregulares da calçada, que não oferecem segurança. Por não haver baias de ônibus, os passageiros acabam descendo na pista de automóveis.

Em um trecho de aproximadamente 1,1km, compreendido pelas avenidas Elias Miguel e Getúlio Vargas, serão instaladas duas baias de ônibus e os pontos de parada do transporte coletivo serão realocados. O ponto hoje próximo à Administração Regional do Centro será instalado na avenida Elias Miguel, entre as ruas Orlando Rocha e Pedro Nolasco. Já o localizado em frente ao Palácio Anchieta ficará alocado na avenida Getúlio Vargas, entre a rua Presidente Pedreira e a avenida República. As travessias de pedestre serão tratadas e receberão sinalização horizontal e vertical.

A rua João Santos Neves, atualmente utilizada para quem retorna com destino à Ilha do Príncipe, será fechada, pois é uma via pequena para absorver o número de carros, ocasionando retenção de veículos, que acabam atrapalhando o fluxo na avenida Getúlio Vargas, segundo explicou o assessor técnico Leonardo Schulte, da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade. Veja a perspectiva do local

Ciclovia

A obra também inclui a construção de uma ciclovia com 2,5 metros de largura. De acordo com diagnóstico feito pelo Plano Diretor de Transporte Urbano, em 2000, na Grande Vitória a bicicleta respondia por 4% de todos os modos de transporte, sendo 2,75% da demanda referente a Vitória. Segundo pesquisa de contagem de bicicletas, realizada em 2004 em frente à entrada de caminhões da Codesa, 40% dos entrevistados apontaram o trecho entre a entrada da Codesa e o antigo Aquaviário como o principal problema de percurso. Esse trecho, aliás, está entre os três de maior demanda de uso de bicicleta no município. Os outros situam-se nas avenidas Serafim Derenzi e Fernando Ferrari.

Já as calçadas serão reconstruídas em conformidade com a Lei Municipal 6.525/2005, de forma a garantir condições de mobilidade e acessibilidade urbana a todas as pessoas, incluindo os portadores de deficiência. A calçada cidadã conta piso antiderrapante e faixa tátil, que define o espaço onde estão os mobiliários urbanos, como postes e placas de sinalização, servindo como guia para os deficientes visuais. Rampas com declividade adequada garantirão a mobilidade de portadores de deficiência física.

Para a realização da obra, a Codesa cedeu uma área à Prefeitura. Para a realização das melhorias, que vão privilegiar a circulação de pedestres e ciclistas e garantir mais segurança aos usuários do transporte coletivo, serão suprimidas aproximadamente 120 vagas de estacionamento.

Orçadas em R$ 1,8 milhão, as obras do Calçadão do Porto serão executadas pela Duto Engenharia e atendem às diretrizes do Planejamento Urbano Interativo do Centro, plano de ação elaborado em 2006, por moradores, comerciantes e poder público, dentro do Programa de Revitalização da região. Segundo o plano, a região requer a implantação de áreas adequadas para embarque e desembarque de usuários de ônibus, adequação das calçadas às normas de acessibilidade e instalação de ciclovias. Também constam, como diretrizes para o planejamento urbano do Centro, integrar o porto à cidade e valorizar o percurso orla. (Angèle Murad)